principalNesta sexta-feira (13), membros, servidores e colaboradores das Promotorias de Santana participaram do IV Encontro de Sensibilização do Programa de Qualidadecirculos II de Vida no Trabalho e do Projeto MP Restaurativo, coordenados pela Procuradoria-Geral de Justiça do Ministério Público do Amapá (PGJ/MP-AP), visando promover uma cultura de bem-estar e saúde no ambiente institucional.

Os participantes puderam vivenciar uma das práticas de justiça restaurativa, os chamados “círculos de diálogos”, que possibilitam a conversa franca e equilibrada entre os participantes, conduzida por um facilitador que integra a equipe do Núcleo de Práticas Restaurativas de Santana, de modo que todos possam conhecer melhor os anseios e necessidades do próximo. 

 

circulos IIIOs Círculos promovem o encontro de pessoas da mesma comunidade ou grupo para facilitar o processo de diálogo, visando a construção de um espaço seguro que permita a livre expressão, a empatia, o respeito mútuo e a responsabilidade coletiva pela tomada de decisões.

Ao final, é possível que os membros do grupo tenham desenvolvido mais confiança na expressão de ideias e nas diretrizes adotadas por todos. Para a coordenadora da Comarca de Santana, fabia Reginapromotora de justiça Fábia Regina, a oportunidade criada pelo projeto é um avanço institucional.

“Para que a nossa resposta à sociedade seja positiva e a comunidade de Santana sinta que seus anseios estão sendo devidamente atendidos, precisamos estar bem fisicamente e emocionalmente. Muitas vezes nos assoberbamos com o nosso trabalho e as nossas dores, mas a gente também precisa de cuidado. Hoje foi um dia de ‘parada técnica’ com a finalidade de nos concentrarmos na nossa individualidade e no conjunto ao nosso redor. Tenho certeza que saímos daqui muito melhores”, manifestou.

Silvia CanelaA coordenadora do Núcleo de Mediação, Conciliação e Práticas Restaurativas do MP-AP, promotora de Justiça Silvia Canela, falou da experiência acumulada ao longo de seis anos, desde que iniciou o trabalho com justiça restaurativa em 2012, e a relevância do programa ter adotado a mesma metodologia. “Para mim esse momento é muito significativo porque a nossa instituição está olhando para esse novo paradigma e também adotando internamente. Lhes digo que mudou a minha vida e me sinto muito feliz. A justiça restaurativa resgata a nossa humanidade”.

Carlos Roberto Bastos, diretor do Departamento de Gestão de Pessoas, desejou o máximo de aproveitamento aos participantes. “Espero que seja de grande benefício para todos, não só aqui em Santana, mas em todas as unidades do MP instaladas no Estado. Um grande prazer receber a todos e estamos à disposição para qualquer dúvida e receber sugestões.”

 

Integração

circulosPara envolver todos que atuam na instituição, eventos semelhantes foram realizados em outras três unidades administrativas do Ministério Público. A próxima será na Procuradoria-Geral de Justiça,Alzira em STN no dia 24 deste mês. As atividades são organizadas e conduzidas pelas servidoras e assessoras técnicas do MP, a psicóloga Carla Schneider, líder do programa de Qualidade Vida da instituição, e a assistente social Alzira Nogueira, coordenadora do projeto MP Restaurativo. 

“Tenho um amor muito grande por esse lugar. Sei o quanto todos aqui são valorosos e trabalham dedicados para ajudar a transformar a vida das pessoas da comunidade de Santana. Nesse sentido, reforço o quanto é necessário pararmos um pouco, refletirmos sobre nossas práticas e a qualidade dos nossos relacionamentos. Essa prática precisa se tornar cotidiana com mais momentos para conversar e fortalecer os nossos laços de companheirismo e colaboração no trabalho”, incentivou Alzira Nogueira.

 

divisao de gruposUma nova cultura institucional

A construção do programa de qualidade de vida está acontecendo de maneira colaborativa. Para tanto, todos estão recebendo um e-mail com um questionário para diagnóstico e sugestões. As ideias serão sistematizadas até maio.

“É extremamente importante que todos participem. Sei que foi penoso para muitos deixar de lado as atividades funcionais, mas precisamos encontrar esse tempo pra cuidar da gente. Do contrário, adoecemos e aí somos obrigados a parar. Foi maravilhoso o dia de hoje e todos estão de parabéns”, reconheceu a líder do projeto, psicóloga Carla Schneider.

Ao final, o procurador-geral de Justiça, Márcio Augusto Alves, reafirmou o objetivo do projeto. “Vivemos com pressa e acabamos negligenciando nossas relaçõesMarcio Alves pessoais. Trabalhamos ao lado de pessoas e muitas vezes nem sabemos o que está acontecendo ao nosso redor. Deixamos de compartilhar nossas experiências. Preferirmos as redes sociais e os aparelhos de telefone. Nada disso substitui o sorriso, o abraço fraterno e a verdadeira solidariedade que devemos ter uns com os outros. A ideia é realmente a gente tentar se voltar para as nossas reais necessidades humanas”.  

auditorioA colaboradora dos serviços gerais, Gilmaria do Socorro, aprovou a programação. “Foi muito bom. Aprendemos muita coisa e ajuda demais a aproximar as pessoas. Nem sempre a pessoa do nosso lado sabe o que está se passando em nossas vidas e no círculo a gente acaba sabendo e assim podemos ajudar”. De igual modo, manifestou a servidora Sonale Rolim: “saí leve de lá”, resumiu.

Comitê Gestor

O Comitê Gestor do Programa de Qualidade de Vida é composto pelos procuradores de Justiça Clara Banha e Jair Quintas e os servidores Telma Coelho, Roberto Bastos, William Tavares e Carla Schneider e tem como objetivo a formulação e acompanhamento do programa de qualidade de vida da instituição.

 

SERVIÇO:

Ana Girlene Oliveira

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Estado do Amapá

Contato: (96) 3198-1616

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Diário Eletrônico

Edição Data Visualizar
126/2018 20/07/2018
125/2018 19/07/2018
124/2018 18/07/2018
123/2018 17/07/2018
122/2018 16/07/2018
121/2018 13/07/2018
120/2018 12/07/2018
119/2018 11/07/2018
118/2018 10/07/2018
117/2018 09/07/2018
116/2018 06/07/2018

Operação Eclésia

Processos Distribuídos
Res. 110/2014

Sistema Cuidar

Ouvidoria

Plantões

Espelho do MPAP