Faixa caop ij


CAOP em Vitoria do Jari 1O Ministério Público do Amapá (MP-AP), por meio da Promotoria de Justiça da Comarca de Vitória do Jari e o Centro de Apoio Operacional da Infância, Juventude e Educação (CAOP-IJE) realizaram, no período de 5 e 6 de novembro, visitas às instituições escolares do sistema municipal e estadual de ensino do município de Vitória do Jari.

O objetivo foi mapear a situação educacional do município.CAOP em Vitoria do Jari 2Durante a estada da equipe técnica do CAOIP-IJE em Vitória do Jari, foram realizadas visitas técnicas para a verificação in loco da situação educacional do município, em dez escolas vinculadas à rede municipal e em mais duas, da rede estadual de ensino, para o levantamento de informações sobre o perfil educacional, recursos humanos, gestão, programas e projetos desenvolvidos, acessibilidade, infraestrutura, dentre outras situações, que irão referendar a construção de relatório técnico, e subsidiarão a atuação da Promotoria frente às questões identificadas.

CAOP em Vitoria do Jari 3Houve, também, reunião no Polo da Universidade Aberta do Brasil (UAB), com representantes das Secretarias Municipais de Assistência Social, de Saúde e de Educação, da Câmara Municipal de Vereadores e demais órgãos do Sistema de Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente, para iniciar o diálogo sobre a implantação do serviço de Acolhimento Familiar.CAOP em Vitoria do Jari 4

O promotor de Justiça, Eduardo Kelson Fernandes de Pinho afirmou que a reunião foi bastante produtiva e esclarecedora.

“Colocamos o Ministério Público à disposição para colaborar com a melhoria da educação no município, e para acompanhar o processo de implantação do serviço de Acolhimento Familiar, com o investimento necessário, formação específica e o devido acompanhamento das equipes técnicas”, finalizou o promotor.

Sobre o Serviço Família Acolhedora

CAOP em Vitoria do Jari 5Por meio do Serviço Família Acolhedora, famílias cadastradas acolhem crianças e adolescentes de 0 a 18 anos, afastados do convívio familiar, por medida de segurança e proteção, em função de abandono ou pelo fato da família se encontrar temporariamente impossibilitada de cumprir suas funções de cuidado e proteção. Nesse período, são realizados esforços visando restaurar as condições para que a família de origem receba novamente sua criança ou adolescente.

As famílias acolhedoras oferecem condições favoráveis para o desenvolvimento da criança e do adolescente, um ambiente saudável, seguro e afetivo. Ao serem encaminhadas a essas famílias, as crianças não são “institucionalizadas”, ou seja, não ficam em abrigos à espera da adoção ou do retorno à família de origem. Para ingressar no programa, a futura família acolhedora deve atender aos critérios definidos pelo serviço e passar por avaliação e capacitação.

Serviço:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Estado do Amapá

Contato: (96) 3198-1616

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Diário Eletrônico

Edição Data Visualizar
94/2020 26/05/2020
93/2020 25/05/2020
92/2020 22/05/2020
91/2020 21/05/2020
90/2020 20/05/2020
89/2020 20/05/2020
88/2020 18/05/2020
87/2020 14/05/2020
86/2020 13/05/2020
85/2020 12/05/2020
Ver todos

Ouvidoria

Promotoria da Saúde

Corregedoria-Geral

Decisões dos Órgãos Colegiados
Res. 173-CNMP

Processos Distribuídos
Res. 110/2014

Sistema Cuidar

Plantões

Espelho do MPAP

Plenário Virtual

Mapa das Ouvidorias

Olá! Posso ajudar?
Sofia - Assistente Virtual
Online
  • 08:26     Sofia
    Olá, seja bem-vindo! Meu nome é Sofia, sou assistente virtual do MP-AP.
  • 08:26     Sofia
    Em que posso ajudar? 😊
  • 08:26     Selecione uma das opções