Para comemorar 10 anos de atividade, o Centro de Apoio Operacional da Infância, Juventude e Educação (CAOP-IJE) promoveu, nesta quinta-feira (7), no auditório do Complexo Cidadão – Centro, a V Reunião Ampliada com os promotores de justiça do Ministério Público do Amapá (MP-AP) e equipes técnicas que atuam na área, a fim de realizarem um balanço das ações, diagnóstico das dificuldades e desafios a serem enfrentados em 2018. Durante a programação, foi lançada uma revista especial do CAOP-IJE com a prestação de contas das atividades desenvolvidas e resultados alcançados nesse período.

 

As reuniões ampliadas funcionam como fóruns de debates, objetivando proporcionar momentos de interconexão entre os órgãos de execução, com diálogos sobre temáticas importantes na área da infância, juventude e educação. Proporciona, ainda, a avaliação da atuação do MP-AP na promoção, proteção e defesa dos direitos humanos das crianças e adolescentes, além de identificar as demandas prioritárias do CAOP-IJE para 2018, orientadas pelo Planejamento Estratégico da instituição.

 

Na abertura, a coordenadora-geral do CAOP-IJE, procuradora de Justiça Judith Teles Gonçalves, ressaltou o trabalho dedicado de toda a equipe técnica e o apoio recebido da administração para o pleno funcionamento do Centro.

 

“Estou muito emocionada porque ao longo desses anos conseguimos chegar a muitos lugares, auxiliando profissionais na luta em defesa da educação e das nossas crianças e adolescentes.  Nossa missão hoje não é de gabinete. Somos um Ministério Público transformador e a melhor escolha que poderíamos ter feito para simbolizar a nossa instituição foi a Samaúma, indicada também para ser a capa da revista, nessa foto com as crianças, simbolizando nossa resistência, fé e disposição de lutar por um mundo melhor”, disse a procuradora.

 

O PGJ do MP-AP enfatizou o legado construído nessa década de atuação. “Não poderia deixar de prestigiar este momento e destacar o quanto avançou o CAOP-IJE nesses dez anos, sempre sob a coordenação da Dra. Judith, incansável na missão e dedicada aos desafios diários que a tarefa lhe impõe. A senhora é um espelho para todos nós. De igual modo, estendo meus cumprimentos a todos os servidores, colaboradores e voluntários pelo belíssimo trabalho. Não há outro caminho para a transformação da sociedade sem educação e respeito às nossas crianças.Sigam firme e contem com o nosso apoio sempre”, acrescentou Márcio Alves.

 

Também estavam presentes na mesa, os procuradores de Justiça Jayme Ferreira (ouvidor do MP-AP), Estela Sá (corregedora-geral do MP-AP) e Nicolau Crispino (subprocurador para assuntos administrativos e institucionais do MP e diretor de Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional).

 

Troca de experiências

Na sequência, a programação contou com um “Painel de Aprendizagem”, mediado pelo coordenador do CAOP-IJE, promotor de Justiça Miguel Angel. A primeira  palestra - “A Lei de Aprendizagem como estratégia de combate ao trabalho infantil” foi ministrada pela procuradora do Ministério Público do Trabalho, Ana Lúcia González.

 

Em seguida, a diretora executiva do Instituto INOVA, Fabíola Rocha, falou sobre a lei da aprendizagem como estratégia de inclusão de jovens nomercado de trabalho e, completando o painel, a diretora da Casa Betânia (localizada em Santana), irmã Rosane Fiuza, junto com o representante do instituto Marcelo Cândia, Thiago Romão de Aquino, apresentaram o “Projeto AJA – Adolescentes e Jovens em Ação”.

 

Para trazer um panorama geral do programa “Depoimento Especial” à luz da Lei 13.431/2007, a juíza Larissa Noronha, titular do juizado da Infância e Juventude da comarca de Santana, destacou alguns aspectos mais relevantes a serem observados pelos membros do MP durante a coleta de informações no curso dos depoimentos com as vítimas infanto-juvenis.

 

Os participantes também receberam orientações e metas da Corregedoria do MP-AP na para 2018, repassadas pelo promotor de Justiça Alexandre Monteiro (assessor da Corregedoria), bem como, puderam participar de uma roda de conversa sobre projetos e ações integradas, finalizando com relato de experiências do promotor de Justiça Rodrigo Celestino, titular da Promotoria de Pedra Branca do Amapari.

 

Revista comemorativa 10 anos do CAOP-IJE

Além dos promotores de Justiça que atuam nos municípios do Estado e nas promotorias especializadas, a reunião mobilizou os ex-coordenadores doCAOP-IJE: promotores de Justiça Paulo Celso Ramos e Anderson Batista.

 

Finalizado os debates, houve o lançamento da revista comemorativa dos 10 anos de atividade do CAOP-IJE. A publicação, com 42 páginas, traz o histórico, balanço das atividades, conquistas, projetos executados, estrutura e ações desenvolvidas no período.

 

 

SERVIÇO:

Ana Girlene 

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Estado do Amapá

Contato: (96) 3198-1616

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Asscom MP-AP

Diário Eletrônico

Edição Data Visualizar
089/2018 24/05/2018
088/2018 23/05/2018
087/2018 22/05/2018
086/2018 21/05/2018
085/2018 18/05/2018
084/2018 17/05/2018
083/2018 16/05/2018
082/2018 14/05/2018
081/2018 11/05/2018
080/2018 10/05/2018
079/2018 09/05/2018

Operação Eclésia

Processos Distribuídos
Res. 110/2014

Sistema Cuidar

Ouvidoria

Plantões

Espelho do MPAP